Notícias, Prevenção

Casos de dengue aumentam 339% no Brasil

08 maio 2019 • Felipe Nascimento

Dados divulgados na última semana pelo Ministério da Saúde alertam para o aumento no número de casos de dengue no Brasil. Até a primeira quinzena de abril de 2019 foram registrados 451.685 casos prováveis de dengue no país, um aumento de 339,9% em relação ao mesmo período de 2018. No mesmo intervalo do ano passado, os casos registrados chegaram a 102.681.

Ainda segundo o boletim, 994 municípios apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para dengue, zika e chikungunya. Os dados reforçam a importância do combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor dessas doenças. “Esses resultados indicam que é preciso fortalecer ainda mais as ações de combate ao mosquito, com a participação da população e de todos os gestores locais e federal”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber.

A dengue pode se manifestar de duas formas: a clássica e a hemorrágica. A primeira geralmente apresenta como sintomas febre, dor de cabeça, dor no corpo, nas articulações e por trás dos olhos, podendo afetar crianças e adultos. Já a dengue hemorrágica é a forma mais severa da doença, pois, além dos sintomas citados, é possível que ocorra sangramento, choque e óbito.

O QUE FAZER

A proliferação do mosquito só é possível desde que haja condições de sobrevivência das suas larvas, entre elas a água parada. Por isso, mantenha tonéis, caixas e barris de água bem fechados, troque a água dos vasos de plantas uma vez por semana, mantenha garrafas de vidro e latinhas de cabeça para baixo e coloque pneus em locais cobertos. Não deixe de verificar também se não há água acumulada em latas, embalagens, copos plásticos e tampinhas de refrigerantes, por exemplo.

 PRINCIPAIS SINTOMAS

A dengue pode ser facilmente confundida com outras doenças transmitidas pelo mesmo mosquito, como a zika e a chikungunya. Por isso, é importante estar atento às suas características específicas para um diagnóstico mais rápido e preciso:

Febre: costuma ser alta, entre 39 e 40 graus, e tem início súbito.

Dores: ocorrem principalmente nos músculos, articulações, cabeça e atrás dos olhos.

Manchas: aparecem manchas vermelhas pelo corpo que, em alguns casos, podem coçar.

Outros sintomas: cansaço profundo, tontura, náusea, vômito, diarreia.

A doença pode comprometer órgãos como pulmões, coração, fígado, rins e até mesmo o sistema nervoso central. Por isso, se houver algum desses sintomas, evite o uso de medicamentos e procure a Unidade de Saúde mais próxima de sua casa.

DENUNCIE
Quando o foco do mosquito é detectado e não pode ser eliminado pelos moradores, como em terrenos baldios ou lixo acumulado na rua, a Secretaria Municipal de Saúde de sua cidade deve ser acionada para remover os possíveis criadouros. Veja aqui como entrar em contato.

Quer saber mais sobre a doença? Clique aqui e confira outras informações.