Notícias, Prevenção

Problema de coluna pode ser resolvido sem cirurgia

02 jul 2018 • Fabieli de Paula

‘Dores nas costas’ persistentes e que atrapalham as atividades do cotidiano, quase sempre, estão associadas a problemas na coluna vertebral. Se as dores não melhoram com as mudanças de comportamentos, medicamentos ou com sessões de fisioterapia, solicitadas pelos profissionais médicos, logo pensamos que a melhor solução seja a cirurgia de coluna. Ledo engano.

Estudos mostram que, em mais de 60% dos casos, a cirurgia de coluna vertebral não é o procedimento mais adequado aos pacientes. Isso porque os problemas são decorrentes da degeneração crônica dos corpos vertebrais, dos ligamentos e dos tecidos adjacentes. “Dependendo da cirurgia, com implante de placas e parafusos, existem chances de o paciente apresentar uma piora com o decorrer do tempo, pois a degeneração óssea e a dos tecidos adjacentes são progressivas e, se associarmos com a fibrose decorrente da cirurgia, pode ocorrer o quadro de dor crônica intratável”, explicou o médico da Amafresp, Walter Lyrio do Valle.

Walter ressalta a importância de esgotar as alternativas de tratamentos antes da realização de intervenção cirúrgica: “A cirurgia de estruturas ósseas é um caminho sem volta. Portanto, antes de decidir por uma cirurgia tão invasiva, devemos verificar todas as alternativas mais conservadoras, desde procedimentos clínicos, fisioterápicos e medicamentosos a métodos minimamente invasivos (infiltrações, secção da raiz nervosa, retirada parcial do disco intervertebral)”.

Outro ponto que merece atenção é a mudança no estilo de vida e nas práticas de atividades físicas. É essencial realizar os exercícios de reforço muscular com a supervisão de um profissional especializado, a fim de evitar posições e movimentos que sobrecarreguem a coluna vertebral, além do acompanhamento médico para avaliar os problemas osteoarticulares (osteoporose, artrite e outros) e doenças crônicas.

ESTUDOS DA BP

O Hospital Beneficência Portuguesa (BP) apresentou um estudo no 3º Fórum da Saúde Suplementar (FenaSaúde), no qual revelou que a maior parte das indicações para cirurgia de coluna pode ser desnecessária. “Em 2015, foram feitas 27 mil intervenções com implantes no país, a um custo de US$ 120 milhões. Estima-se que 16 mil brasileiros tenham sido operados sem necessidade, a um gasto de US$ 70 milhões”, alertou o médico Edmond Barras, chefe do Serviço de Clínica e Cirurgia da Coluna Vertebral da BP.

ALTO CUSTO DOS MATERIAIS

Indicações abusivas de cirurgias podem transformar procedimentos simples em complexos ao exigir o uso de próteses. Reportagens divulgam a máfia das próteses no Brasil e mostram que, diariamente, vidas são colocadas em risco.

A Amafresp, atenta às fraudes, já intensificou as ações e exigências para a autorização de cirurgias de coluna. Segundo a gerente, Rosângela Lázaro, “quando a cirurgia é necessária e autorizada pela Amafresp, uma das obrigatoriedades do médico solicitante da prótese é sugerir ao menos três fornecedores de material ao hospital, que fará a cotação e encaminhará para nós”, explicou. Normalmente, há negociação com o hospital para que a própria Amafresp efetue a compra direta do fornecedor, sem intermediários.

REDE DE ESPECIALISTAS

A cirurgia de coluna só é recomendada quando não há mais alternativas de tratamento. “Por isso, é fundamental que a cirurgia seja realizada por médicos com especialização em coluna vertebral e que atuem exclusivamente nesta área.

A Amafresp tem uma rede de especialistas para fornecer pareceres ao filiado que tem indicação de cirurgia por médico não credenciado.