Dica de saúde, Prevenção

Os perigos do excesso de açúcar na alimentação

15 maio 2019 • Felipe Nascimento

Sabe aquele docinho depois do almoço? Apesar de delicioso, ele pode ser um grande vilão da sua saúde se não for consumido com moderação. Além de colaborar com o aumento de peso, ingerir açúcar em excesso pode acarretar diversos problemas, dentre eles o aumento do risco de ter diabetes e a aceleração do envelhecimento.

O tema é bastante popular, porém, não recebe a devida importância. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o consumo seja de até 10% das calorias diárias. Entretanto, essa média é facilmente ultrapassada, pois o brasileiro consome de 3 a 6 vezes mais açúcar que a média mundial.

Uma ressalva importante: é muito comum (e perigoso) associarmos o açúcar apenas ao granulado branco que adicionamos ao café, ou que integram a produção de bolos e doces. Até mesmo alimentos salgados, como pães, molho de tomate e barras de proteína, podem ter grandes doses de açúcar.

CONSEQUÊNCIAS
O alto consumo de açúcar já impacta no aumento de doenças crônicas não-transmissíveis. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, são 12,5 milhões (7%) de pessoas com diabetes, por exemplo. Outra doença que tem crescido entre os brasileiros e que está relacionada com o alto consumo de açúcar é a obesidade. A condição clínica subiu mais de 60%.

Outras consequências são o desenvolvimento de cáries, aumento dos riscos de doenças cardíacas, insônias e problemas de pele. Além disso, algumas evidências já apontam que o excesso de açúcar pode provocar câncer, pois o excesso de insulina no sangue aumenta a probabilidade de transformação de células pré-cancerosas em células malignas e, consequentemente, de desenvolvimento de câncer.

COMO REDUZIR
Cortar a adição de açúcar refinado nos alimentos é o primeiro passo. Muitas pessoas utilizam outras opções como açúcar orgânico, mascavo, cristal, light e mel – só para citar alguns. Mas eles são apenas “menos piores” e seu consumo também deve ser moderado.

O uso de adoçantes artificiais pode ser uma alternativa. Porém, como os estudos sobre este assunto, em sua maioria, ainda são inconclusivos, é melhor ter cautela e consumi-los com moderação. E lembre-se: prefira sempre beber água ao invés de refrigerantes e sucos. Nosso corpo pode extrair toda a energia de que necessita por meio de uma dieta equilibrada.