Dica de saúde, Notícias, Prevenção

Dia Mundial sem Tabaco alerta sobre doenças pulmonares

31 maio 2019 • Felipe Nascimento

Parar de fumar não é uma tarefa tão simples quanto se imagina. Aqueles que lutam diariamente para abandonar o vício passam por grandes desconfortos físicos e psicológicos, pois se tornaram dependentes da nicotina. Para conscientizar a população sobre os danos causados pelo tabagismo, a Organização Mundial de Saúde criou o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado todos os anos em 31 de maio.

O tema da campanha deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar” e destaca os efeitos negativos que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo têm sobre a saúde dos pulmões. Os números são alarmantes: de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 428 pessoas morrem por dia no Brasil por causa da dependência à nicotina. Ao todo, serão mais de 31 mil novos casos de câncer de pulmão n este ano, sendo 18,7 mil casos em homens e 12,5 mil em mulheres.

“Os malefícios do tabaco se estendem também àqueles – adultos e crianças – que involuntariamente inalam o fumo dos mais próximos e aprendem que fumar é algo natural, aumentando as chances de se tornarem fumantes no futuro”, explica o médico auditor da Amafresp, Walter Lyrio do Valle.

Além do câncer de pulmão, o tabagismo traz graves problemas para o sistema cardiovascular. “Em conjunto com outros fatores de risco, como o sobrepeso, sedentarismo e alterações do colesterol, o tabagismo aumenta o risco de a pessoa desenvolver doenças como a aterosclerose, que pode causar o infarto e derrame”, explica Dr. Walter.

DEIXAR DE FUMAR

Parar de fumar não está na lista de missões impossíveis, mas está entre uma das mais difíceis que alguém possa enfrentar. A tarefa pode se tornar menos complicada com o estabelecimento de metas claras e objetivas, além da adoção de um tratamento e uma postura decidida sobre os benefícios que podem ser obtidos em longo prazo. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), quando uma pessoa deixa de fumar, os resultados são surpreendentes:

  • Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal.
  • Após 2 horas, não há mais nicotina no sangue.
  • Após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza.
  • Após 2 dias, a pessoa passa a sentir melhor os cheiros e sabores.
  • Após 3 semanas, a respiração fica mais fácil e a circulação melhora.
  • Após 5 a 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao de quem nunca fumou.

Talvez seja necessário um tempo para que o organismo se acostume com a ausência de nicotina e ao novo estilo de vida. Por isso, ele pode apresentar alguns sintomas causados por essa mudança, como dores de cabeça, formigamento das mãos e dos pés, tosse, ansiedade e, principalmente, uma vontade intensa de fumar. É importante lembrar que cada organismo reage de uma maneira diferente e todos esses sintomas desaparecem após uma ou duas semanas sem fumar.

Além da mudança comportamental e do apoio e orientação de um especialista outras dicas podem ajudar quem quer parar de fumar: beber água gelada, mastigar canela em pau, cravo, cristais de gengibre, barra de cereais ou chiclete sem açúcar. Estes itens devem estar sempre à mão de quem está deixando de fumar. A prática de atividade física e o apoio de familiares e amigos também são grandes aliados que podem contribuir com o sucesso do tratamento.