Notícias, Prevenção

A importância da alimentação saudável para o coração

27 set 2018 • Fabieli de Paula

O próximo sábado, dia 29, será marcado pelo Dia Mundial do Coração. A data tem como objetivo principal divulgar os perigos das doenças do coração e a importância da prevenção.

Para a Organização Mundial da Saúde – OMS, cerca de 16,6 milhões de pessoas morrem de doenças cardiovasculares, como o infarto, insuficiência cardíaca, hipertensão e Acidente Vascular Cerebral (AVC). Sendo que no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, a pesquisa aponta para 300 mil mortes causadas por problemas cardiovasculares, o que corresponde a uma morte a cada dois minutos.

Para muitos especialistas, a alimentação e a atividade física são pontos importantes para reduzir esse número alarmante. Uma alimentação saudável aliada à prática de atividade física regular e a eliminação de hábitos ruins, como alcoolismo e tabagismo, podem ser capazes de reduzir em até 80% as chances de uma pessoa desenvolver problemas cardíacos.

“Há vários fatores que desencadeiam os problemas cardíacos, sendo eles fatores genéticos ou ambientais (tabagismo, sobrepeso, consumo excessivo de álcool e sódio). No entanto, já é comprovado que a adoção de hábitos saudáveis está associada à diminuição desse índice”, disse o médico da Amafresp, Walter Lyrio do Valle.

O profissional explica que para ser amiga do coração a alimentação diária deve ser baseada em escolhas saudáveis, como uma dieta rica em verduras, legumes, carnes magras, fibras e frutas. Além dessas opções, há alguns alimentos específicos que podem ser inseridos no cotidiano e agem como cardioprotetores. Os fitoesteróis, encontrados em castanhas, alimentos integrais, frutas e vegetais, são compostos que ajudam no controle do nível do colesterol. Já as propriedades presentes no azeite extravirgem também combatem os radicais livres e auxiliam no controle do colesterol. E o salmão, rico em ômega 3, reduz os riscos de doenças cardiovasculares, por conta da sua ação anti-inflamatória e do controle dos níveis de triglicerídeos no sangue.

No entanto, Walter alertou que, apesar da significativa importância na prevenção de doenças cardiovasculares, a alimentação sozinha não é capaz de afastar esses problemas. “Para usufruir dos benefícios, é necessária uma completa mudança de hábitos, como a prática de, pelo menos, 150 minutos de atividade física por semana, ou seja, cinco dias por 30 minutos; a exclusão de costumes, como o uso de cigarro e a diminuição do consumo de álcool; o controle do peso; e o acompanhamento regular com o cardiologista”, finaliza.