Sem categoria

Entenda como funciona o Serviço Social Amafresp

06 jul 2015 • Fabieli de Paula

Na lista dos serviços diferenciados oferecidos pela Amafresp para o atendimento e orientação aos associados está o de Assistência Social. É ele que, muitas vezes, leva a tranquilidade aos associados de todo o estado de São Paulo esclarecendo dúvidas, informando e direcionando pacientes e famílias sobre os procedimentos que devem ser adotados em determinadas ocasiões.

O serviço de Assistência Social é oferecido em casos de internação domiciliar, visitas hospitalares e domiciliares: Home Care, Atendimento Domiciliar Amafresp (ADA), agendamento de ambulâncias eletivas e indicações de credenciados e profissionais da saúde em geral.

Todo o trabalho de abordagem, direcionamento e visitas dentro do setor de Assistência Social da Amafresp é realizado por duas Assistentes Sociais, a Filomena Ferreira Lima (Filó) e Juliana Bigaran. São elas quem realizam todo este serviço de apoio e orientação ao associado.

Quando o associado tem algum problema, necessita de um atendimento mais complexo, inclusive administrativo, esclarecer dúvidas ou pedir algum tipo de orientação em relação aos serviços ou medicamentos oferecidos pela Amafresp, muitas vezes, ele liga direto para a assistente social. “Nosso objetivo é justamente estabelecer um contato mais próximo, nos colocar à disposição do associado”, explica Filó.

A assistente social é na verdade um agente intermediador. Elas ajudam o associado com a indicação de médicos especialistas, sempre contando com a ampla rede credenciada Amafresp, fazem visitas domiciliares e também no próprio hospital. Além disso, acompanham o atendimento realizado pelo ADA, pelo Home Care e demais situações e visitas, onde acompanham o diretor da Amafresp, Alexandre Lania Gonçalves, ou a gerente, Rosângela Lázaro.

Veja algumas atribuições do serviço social
– Acompanhamento de pacientes internados na capital e grande São Paulo;
– Acompanhamento telefônico de pacientes internados no interior;
– Hospitalidade, principalmente aos filiados do interior que necessitam de atendimento na capital;
– Avaliação técnica de profissionais credenciados;
– Busca de vagas em hospitais para internação de filiados;
– Transferências de pacientes inter-hospitalar;
– Apoio ao programa de Atendimento Domiciliar – ADA;
– Suporte à implantação de Home Care;
– Agendamento de ambulâncias;
– Abordagens sociais em geral.