Sem categoria

Entenda a taxa administrativa da Amafresp e a composição de seus custos

27 jul 2015 • Fabieli de Paula

Um dos assuntos que geram muitas dúvidas para filiado Amafresp é a composição de custos envolvidos na Taxa de Administração do seu plano. O artigo 7º do regulamento da Amafresp explica que essa taxa é de 7% do valor da soma das despesas efetivas com assistência à saúde.

A taxa de Administração Amafresp, que é paga mensalmente à Afresp, serve para cobrir os custos administrativos e operacionais do seu plano e já está prevista no valor da cota mensal cobrada.

Composição dos custos administrativos e operacionais Amafresp

Conforme podemos observar no infográfico, a composição da taxa administrativa da Amafresp envolve custos como materiais de escritório, energia elétrica, água, colaboradores da Amafresp, equipamentos e o aluguel do espaço físico(localizado dentro da sede da Afresp). Além desses, existem também os custos indiretos, originados dos serviços que os departamentos da Afresp prestam para a Amafresp, entre eles a Contabilidade, a Tecnologia da Informação, Comunicação e Regionais.

Para que esses custos sejam calculados e repassados de maneira mais real e fiel para Amafresp, no ano de 2013, o departamento Financeiro da Associação contou com a consultoria do um profissional especialista em Controladoria e Contabilidade pela USP, que fez um trabalho de reformulação nos relatórios de custo da Afresp.

Os custos diretos e os rateios indiretos do plano passaram a ser calculados com mais precisão. “Por meio de uma metodologia científica, cada área prestadora de serviço para Amafresp contabiliza seus esforços direcionados ao plano de saúde. Ou seja, é possível medir inclusive os recursos humanos de cada departamento que atende à Amafresp”, afirmou o diretor da Amafresp, Alexandre Lania Gonçalves.

Consta no regulamento da Amafresp que, no início de cada ano, é apurado o valor real do custo de Administração do plano no ano anterior. Caso resulte em um pagamento maior da Amafresp, a Afresp restituirá à sua autogestão, como ocorreu em 2014, no qual a Afresp devolveu aproximadamente R$ 250 mil à Amafresp. Vale lembrar que o inverso também pode ocorrer.